jusbrasil.com.br
15 de Outubro de 2018

“Cristofobia”: um novo tipo de preconceito que pode se tornar crime hediondo! Se depender da bancada evangélica – com certeza!

“Demorou”!

Com uma notícia como essa os evangélicos e católicos “piram”, e se um dia for aprovada darão uma grande festa com direito à discurso de Malafaia e de toda a bancada evangélica.

- “Porque não pensamos nisso antes”? Dirão alguns integrantes da referida bancada!

(por Daiene Cardoso, do Estadão Conteúdo) O líder do PSD na Câmara dos Deputados, Rogério Rosso (DF), protocolou nesta segunda-feira, 08, um projeto de lei que torna crime hediondo ultraje, impedimento ou perturbação de cultos religiosos.

Na proposta, o deputado ataca o que chama de "Cristofobia" e sugere como punição, além de multa, aumento da pena para quatro a oito anos de reclusão.

Na justificativa do projeto, o parlamentar reclama que manifestações de defesa dos direitos homossexuais, como a Parada LGBT, têm "zombado" da fé dos evangélicos e agindo de forma desrespeitosa contra símbolos religiosos.

Cristofobia um novo tipo de preconceito que pode se tornar crime hediondo Se depender da bancada evanglica com certeza

"A intenção desse projeto de lei é proteger a crença e objetos de culto religiosos dos cidadãos brasileiros, pois o que vem ocorrendo nos últimos anos em manifestações, principalmente LGBTs, é o que podemos chamar de 'Cristofobia', com a prática de atos obscenos e degradantes que externam preconceito contra os católicos e evangélicos", diz o texto da proposição.

O artigo 208 do Código Penal prevê hoje multa ou detenção de um mês a um ano para quem escarnecer de alguém, por motivo religioso, ou perturbar cerimônia religiosa, "vilipendiar publicamente o ato ou objeto de culto religioso".

Em caso de violência, a pena é acrescida em um terço.

Fonte: http://exame.abril.com.br/brasil/noticias/lider-do-psd-na-câmara-propoe-que-cristofobia-seja-crime

Comentários: Elane F. De Souza OAB-CE 27.340-B

Foto/Créditos: Reuters/Joao Castellano por G1 Globo. Com

174 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Eu realmente queria entender onde a encenação da paixão de Cristo por uma mulher (trans*) é desrespeitar as crenças alheias. Todos os anos eu vou nas Vias Sacras das dioceses locais (próximas às páscoas) e vejo a mesma representação. Por que pra um pode e pra outro não? Onde teve escárnio, desrespeito ou vilipêndio? Acho que querem atacar mais o argumentador do que o discurso... continuar lendo

Iago, acho que você não viu todas as imagens.
A questão aqui é respeito.
Se eles exigem respeito, a fé cristã também.
Concordar e aceitar como certo é uma coisa, respeitar é outra.
Se os Cristãos (e eu sou uma com a maior alegria do mundo), consideram encenações a Cristo como algo a lembrar e exaltar o seu sacrifício (que aliás foi por todos e isso inclui TODOS mesmo), deve ser respeitado. Não precisa concordar, apenas respeitar. continuar lendo

Mao, Stalin e Fidel não assassinaram pessoas por uma crença em determinada seita. As mortes foram decorrentes de questões políticas e sociais. A falácia fica gritante quando, em um estudo simples dos países continentes, Rússia e China, descobre-se que a maioria das ordens de assassinatos foram levadas a efeito por procuradores, policiais, juízes e autoridades locais, com base, muitas vezes, em denúncias infundadas ou por não filiação partidária. Na mesma baixaria, os ofendidos com a imagem devem ser defensores da ditadura e suas mortes ao longo do nosso continente, defendida por cristãos, de Hitler, este sim, cometeu atrocidades sobre divagações acerca da raça escolhida por Deus, e de todo milênio de domínio da bíblia, como a inquisição e o assassinato de "bruxas". Está baixada a ordem de que, para retratar Cristo, o ator deve ser virgem ou, se casado, nunca tenha feito sexo antes do casamento, nunca tenha julgado ninguém, nunca tenha mentido, nunca tenha se associado com 12 homens, sem supostamente nunca ter feito sexo e compartilhado carinho sexual com uma mulher (qualquer homem que se postar a isso hoje é taxado como gay), nunca tenha desejado a mulher alheia, nunca tenha furtado, roubado, etc. Que lindo, acho que ninguém deve retratar Jesus. continuar lendo

Concordo com você, Iago. É o que chamam de "repúdio SELETIVO". Só porque foi uma mulher trans, numa parada do orgulho LGBT, que tem que ser repudiado. Se for o Neymar numa capa de revista ou o Thiago Lacerda encenando Jesus na televisão, pode. Vai entender a lógica... continuar lendo

fizeram chacota da de Cristo ! eu so tenho pena dessas pessoas.
aquilo nao é mulher é homem.. continuar lendo

Você está confundindo um ato religioso com um deboche.
Sim, foi puro deboche.
Pq não se deixa em paz as religiões e vamos ao que interessa.
Sinceramente atitudes como esta não leva a lugar nenhum, a não ser mais discórdia.
Já pensou fazer isso com o profeta MAomé??? Que não pode se quer ser representado por imagem.
Eles sabem muito bem quem ironizar.
E um erro não justifica o outro!!! continuar lendo

Você está confundindo um ato religioso com um deboche.
Sim, foi puro deboche.
Pq não se deixa em paz as religiões e vamos ao que interessa.
Sinceramente atitudes como esta não leva a lugar nenhum, a não ser mais discórdia.
Já pensou fazer isso com o profeta MAomé??? Que não pode se quer ser representado por imagem.
Eles sabem muito bem quem ironizar.
E um erro não justifica o outro!!! continuar lendo

Exigem respeito mas não respeitam. E detalhe, nem a totalidade dos gays apoia esse tipo de coisa.
Agora, eu queria mesmo era ver zombar do islamismo. Isso não fazem né? continuar lendo

Iago, Thalles e João Paulo, acredito que entendam muito bem por que a encenação foi repudiada por muitos cristãos. É porque era uma trans num movimento de apoio aos lgbt e a Bíblia trata o homossexualismo como pecado.

Agora, como perguntou o João Paulo, por que então outras encenações de também pecadores (todos somos) são aceitas? Não é repúdio seletivo. A Bíblia trata os pecadores como penitentes e impenitentes. Um pecador impenitente é um pecador que não se arrepende de seus pecados e persiste neles. Já o penitente é aquele que busca reconhecer seus erros e se arrepender deles (com mudança de vida), mesmo sendo impossível alcançar a perfeição e podendo cair novamente no erro. Um homossexual que não entende o homossexualismo como pecado e busca apoio a sua causa é tido como impenitente. Esta é a diferença e por isso a encenação foi repudiada.

No que eu vejo desta representação em específico, não sei dizer se foi uma afronta aos cristãos ou uma tentativa de chamar a atenção para a causa deles. Evitaram a nudez, não houve beijo gay na cruz, nem outras provocações escancaradas (diferente de outros casos). A cruz foi usada como símbolo de sofrimento, para polemizar e chamar a atenção? Ou houve conhecimento de causa e intuito de ridicularizar e agredir os cristãos? Este é o questionamento. Prefiro não julgar. continuar lendo

Mara, a única coisa que estou debatendo é a retratação da crucificação por aquela mulher. As outras imagens que você se refere, sequer são da parada do orgulho GLBT, mas, de fato, são dersespeitosas. Ad argumentandum tantum, ainda que fossem daquela situação, não se pode equiparar todos/as os/as presentes como escarniadores, senão, aquele episódio em que meia dúzia de protestantes neopentecostais destruíram imagens de Nossa Senhora permitiria-me dizer que "todos/as os/as evangélicos/as são radicais", oq não é verdade, e cuja generalização nunca deve ser admitida. Por fim, AINDA que, de fato, tenha havido qualquer desrespeito, sempre me pergunto onde está a outra face que o próprio Cristo mandou oferecer? Abraços. continuar lendo

Hoje reina a cultura do relativismo; tudo é permitido. Ofensas ao credo das pessoas com a quebra de imagens, introdução de crucifixo no ânus, representação da hóstia por um preservativo e coisas afins; são manifestações do pensamento?

Se isto não é escárnio ou desrespeito me avise, pois quero descer.

Iago, você vai a vias-sacras como mencionou. Já viu alguém nestes ambientes queimando bandeiras dos LGBTs ou gritando palavras de ordem contra eles?

Não se nega que homossexuais são marginalizados, tampouco que devem ter seus direitos, relativos à opção sexual, respeitados. Contudo não podem partir para a agressão - sim, a meu ver foi agressão, para tentar se impor. Os fins não justificam os meios; um erro não valida outro.

"Tudo é permitido, mas nem tudo convém".

Cordial abraço. continuar lendo

Perdão Leo, mas o repúdio pautou-se, exclusivamente, em ilações acerca da sexualidade da pessoa que retratava a crucificação. Não há qualquer menção à continuidade pecaminosa da pessoa, mesmo porque, isso se mostraria a maior das hipocrisias, pois, é do credo cristão levantar a possibilidade de arrependimento até o último segundo da vida como contra-argumento nos momentos em que são confrontados pelos seus pecados. Não há discussões sobre o pecado em si na retratação, mas unicamente, o repúdio à uma pessoa que tentava passar a ideia de sacrifício, de sofrimento, do esquecimento do amor em troca do sangue de outrem. Quem está buscando o argumento de pecado, como eu, é quem está se contrapondo as inúmeras citações dos ofendidos à sexualidade da pessoa.

Eu ainda procuro entender qual a mensagem de repúdio aos cristãos que a retratação de um transex crucificado pode passar. Seria, por acaso, um escárnio à uma suposta intolerância? Se foi, conseguiram demonstrar esta. Seria a ideia de posse da mensagem que Jesus passou na cruz ? Olha, se for, eu não sabia que amor, sacrifício e traição são sentimentos exclusivos do cristianismo, que tomou para si uma execução romana. Seria um suposto menosprezo à um símbolo sagrado? Seria muita burrice tentar ofender utilizando-se de uma retratação inocente, sem desenhos de órgãos genitais, sem referências à adjetivos negativos ao grupo religioso, sem encenação de bacanal na cruz, somente um corpo levemente coberto, ensaguentado e expressando sofrimento. Sério, seria o mesmo que dar tiro na água. Ainda que se digam que a mensagem de Cristo é muito forte para ser retratada pelo movimento, ou seja, de tão distante, ofende, então deveriam proibir e considerar escárnio a retratação de Jesus em shows musicais. continuar lendo

Massa são os argumentos falaciosos que questionam a falta de retratação de MAOMÉ. Eu sinceramente não sabia que o Islã ou a religião mulçumana compõem a maioria dos credos no país, possuem uma bancada enorme no congresso criando a cristofobia, o dia do orgulho hétero, entre outros, e que se reservam o direito de a todos julgar, desde espíritas a, até, católicos. Brasil é um país fundamentalista Islâmico. Allahu Akbar. continuar lendo

Iago Ervanovite o problema está na intenção. Observe que o objetivo é outro. Vá numa "parada gay" e você vai se deparar com cenas iguais aos filmes proibidos para menores de 18 anos - isso em pleno dia na Avenida Paulista. Se você abrir seus ouvidos durantes a passagem dos participantes ouvirá palavras de baixo calão contra a religião e os cristãos.

Ah, e para findar, seria melhor entender que os objetos religiosos e seus diversos ícones têm uma razão de sua existência e criação. Então, a cruz, os terços, a Bíblia etc, têm um lugar certo - não é nas "paradas".
Se liga. Conecte melhor com suas ideias. continuar lendo

Aquilo é um homem, cortem o que cortar, implantem o que for, modelem que quiser, o DNA vai ser eternamente de um homem e aquilo com certeza não é uma encenação do sacrifício do Senhor, mas uma afronta a fé de todos os cristãos do mundo, não apenas do Brasil e com certeza o Senhor está atento a toda essa palhaçada e a justiça dEle será infalível. Apesar de você ser o que é, Deus está disposto a te dar o perdão basta apenas que você reconheça o seu pecado e aceite o presente que Ele tem para a sua vida continuar lendo

Aponta um só documento que prova que aquela criatura é uma mulher e eu te apresento mil, provando que não importa que mutações sejam feitas para alterar a aparência dele, isso jamais fará com que ele deixe ser um homem geneticamente continuar lendo

Ai vai meu comentario:

-"É possível perceber uma diminuição no apoio popular à efetivação de determinados direitos por conta de discursos contra eles utilizados nas campanhas eleitorais do ano passado e no seu rescaldo — que se estende até hoje.
Para ser bem sincero, estamos em um péssimo período para se conseguir a efetivação de direitos das minorias. Os ultraconservadores saíram do armário, o Congresso Nacional e os governantes de uma maneira geral estão uma lástima e o debate raso tem nivelado tudo por baixo.
Aliás, tenho certeza de que há uma relação entre o acirramento de ânimos durante o período eleitoral e após ele, a incapacidade de diálogo fomentado pela política rasteira, o aprofundamento do discurso intolerante e desumanizador (que mata a capacidade de se reconhecer no outro) e o aumento no número de casos de violência contra algumas parcelas da sociedade.
A minha vida temporal está abarrotada de histórias suspeitas e comprovadas de terem relação com homofobia e transfobia. Ao mesmo tempo, grupos religiosos fundamentalistas reafirmam posicionamentos de ode ao preconceito e tentam mudar leis para garantir que nada mude. Por exemplo, restringir o conceito de família a um homem, uma mulher e filhos. Patético.
O mais intrigante é que, como já disse aqui, tenho a certeza de que se Jesus de Nazaré, o personagem histórico, vivesse hoje, defendendo a mesma ideia central presente nas escrituras sagradas do cristianismo (e que, por ser tão simples, não é seguida por muitos cristãos) e andando ao lado dos mesmos párias com os quais andou, seria humilhado, xingado, surrado, queimado, alfinetado e explodido.
Chamado de defensor de mendigo e de sem-teto vagabundo.
Olhado como subversivo, alcunhado como agressor da família e dos bons costumes.
Violentado e estuprado.
Rechaçado na propaganda eleitoral obrigatória em rádio e TV.
Difamado nas redes sociais.
Transpondo para os dias de hoje no Brasil, talvez Jesus fosse uma mulher, negra e transexual.
E levaria porrada daqueles que se sentem os ungidos pelo divino.
Feito os sacerdotes do Templo.
Supostos representantes dos interesses de Deus na Terra que afirmam lutar pelo direito de expressarem suas crenças.
Mas, como já reclamei aqui, que droga de crença é essa que diz que A é pior que B, gerando ódio sobre o primeiro, só porque A acredita que nasceu com um corpo que não é o seu? Ou que ama alguém do mesmo sexo? Que religião mesquinha é pequena é essa?
Deputados e senadores, de governo ou oposição, bradam, indignados, mediante à luta por direitos.
A verdade é que deveriam ser responsabilizados em atos de homofobia e transfobia não apenas os diretamente envolvidos, mas também suas fontes de inspiração. Como esses nobres políticos.
Se houver um Deus — e eu duvido muito que exista — ele morre de vergonha de mostrar a sua criação humana para os amigos.
Não por causa daqueles que tocam a vida da forma que os faz mais felizes. Mas por conta dos que cantam musiquinhas, louvando-o até não poder mais, mas ofendem, cospem, batem e esfolam em seu nome.
Nessa hora, esse Deus deve experimentar um sentimento louco de culpa somado à vergonha alheia.-" continuar lendo

Eu também queria entender o porque as pessoas se acham no direito, de brincar com as coisas de Deus! Principalmente se achando no direito de atentar contra o seu próprio corpo, que é uma criação divina! De querer mandar em Deus!!! Achando que pode trocar de sexo, como se trocassem de roupas!!! Contra a lógica e os fatos, não há o que se contestar. Se fosse para ser homem com homem, e mulher com mulher, Deus só teria feito um sexo! Eu só lamento que as pessoas, que por mais se enchem de conhecimentos, acabam se esvaziando de Deus! continuar lendo

Glêdson, aqui é uma comunidade jurídica. Por favor se atenha à laicidade do Estado e às provas científicas; você pode achar isso sobre Deus, eu não acho. No respeito, um abraço. continuar lendo

Para deixa de ser ....po camarada vc merece o silencio. continuar lendo

Mara Furtado, André Pereira, Lúcia Nunes e Maria Inês, concordo com vocês. Falta de respeito total. Como Católico, também repudio esse tipo de coisa. Diante do fato lastimável, ainda tem pessoas que ignoram a attitude dos LGBT, imaginem que são minoria. Quem quer ser diferente também deve assumir as consequências, assim, também devemos assumir, e já fazemos isso há milênios, no entanto, ninguém deve aceitar imposições ou desrespeitos. Não devemos assumir o "olho por olho, dente por dente". Finalmente, alguém falar que "...Cristo deu a outra face...", sugiro ler a Bíblia e, no Sermão da Montanha, procurar entender realmente o significado de
"39 No entanto, eu lhes digo: Não resistam àquele que é mau, mas a quem lhe der uma bofetada na face direita, ofereça também a outra..." (Mateus 5:39), pois, se conseguir entender, repito, saberá que estamos dando a outra face sim, só que não queremos com violência, mas com repúdio e exigência do devido respeito. Jesus nos ensina muito bem em Suas Parábolas, mas quem quiser entender que entenda, quem puder entender, possa. continuar lendo

Lastimável os comentários de alguns colegas. Dizem ser cristãos mas não seguem as mais famosas palavras do cristo, parece aquela brincadeira de criança lembram-se do tal "telefone sem fio"? Pois então, Cristo iniciou a brincadeira dizendo AMAI VOS UNS AO OUTROS, ASSIM COMO EU VOS AMEI. Mas devido a grande imbecilidade humana dos últimos dois milênios hoje o que se escuta neste telefone é MATEM OS GAYS, ODEIEM QUEM PENSA DIFERENTE DE VOS, E PAGUEM O DIZIMO. Desculpem o uso de Caps, pois talvez assim alguém entenda que o amor de cristo não é esse pregado por fariseus hoje. continuar lendo

É pura homofobia, pois se fosse negro hétero seria claramente racismo. Ou seja o criminoso homofóbico pratica o crime de homofobia e põe a culpa na vítima transexual acusando-a de cristofobia. O criminoso pratica o crime e acusa a vítima. É isso que está acontecendo. continuar lendo

Vejo que és mais por fora do que papel de embalagem! Dentro da crença cristã, não se trata de uma encenação vulgar, ou desrespeitosa, mas de culto ao Deus Salvador. no caso dos LGBT's, fazem por escárnio e preconceito. continuar lendo

Simples...respeitem as crenças alheias... continuar lendo

De pleno acordo Manu Messala. continuar lendo

Espero que, ao dizer respeito, também se refira a não vilipendiar as farofas de galinhas acompanhadas de caipirinha de determinada religião, bem como não chamar, de forma discriminatória, a mesma de macumba, não destruir seus templos e suas imagens, não expulsá-los de sua comunidade pelo simples fato de não compartilhar da mesma crença e não se referir, aos mesmos, como demônios. continuar lendo

Concordo com você Manu, a parada Gay tem o intuito de combater o preconceito, mas não se combate o preconceito desrespeitando quem tem opiniões e crenças contrarias. Sempre imaginei que o público LGBT entenderia isso melhor que ninguém. continuar lendo

Que sociedade é essa que se indigna com a manifestação de uma performance na parada gay?

Num país que ostenta o primeiro lugar no ranking mundial de assassinatos homofóbicos, concentrando 44% do total de mortes de todo o planeta, a principal preocupação desse povo é para com a fé e moral cristã, abalada e vilipendiada pela performance de um trans. Quer um exemplo? segundo a Folha, a artista já está sendo ameaçada de morte, provavelmente por... um cristão!

Amém. continuar lendo

Boa noite a todos.
Ao colega André Ichikawa
Aqui no Ceará as mortes de pessoas homossexuais em sua maioria, quase totalidade dos casos são de cunho passional.
As pessoas não sabem o limite dos atos praticados, isso é dos dois lados, nós não sabemos viver e conviver com as diferenças, todos são os grandes senhores da razão. A isonomia é o melhor remédio, condenaram o presidenciável Levy Fidélix por falar em sexo por órgão excretor, usou linguagem técnica, mas o que fazer com pessoas que praticam sexo a luz do dia em local público em uma parada gay, utilizam objetos para as mais diversas práticas sexuais em público. Do mesmo jeito que nem todos os homossexuais são representados pela parada do orgulho gay, os cristãos não são de todo representados pelo malafaia. continuar lendo

A condenação do Fidélix foi uma grande imbecilidade do Judiciário. Atestar um fato de forma jocosa, ainda que em âmbito nacional, faz parte da liberdade de expressão, a mesma que permite sites de conteúdo humorístico como a do Jesus Bêbado no facebook. Não estava Fidélix com discurso de ódio, mas simples manifestação humorística de determinado fato. É bom lembrar Levi que a condenação foi na primeira instância, ainda há um bom caminho até o STF. continuar lendo

Repúdio... Isso foi a pior coisa que já vi... Eles não respeitam nada e nem ninguém, não deveriam viver em sociedade. Não foi uma cena chocante, foram várias, colocar objetos sagrados em locais inapropriados de forma a zombar, para assim humilhar e desdenhar, não pode ser uma manifestação.
Respeitamos, mas somos desrespeitados, ultrajados e humilhados...
Lutem por aquilo que acham que tem direito, mas de forma correta, justa e digna. Não precisa ofender, agredir, humilhar... Quem tem bons argumentos não precisa de atitudes vergonhosas como essas.
As coisas consideradas sagradas para uns não devem ser objeto de desprezo, escândalo e zombaria para ninguém, isso chama-se repeito, não preciso concordar, mas tenho o dever ser cordial, além de ser uma prática de bom senso, está na Lei, é um crime.

LEI Nº 7.716, DE 5 DE JANEIRO DE 1989.
Art. 1º Serão punidos, na forma desta Lei, os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional.

Art. 20. Praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional. continuar lendo

Sinceramente, onde está pratica, induzir ou incitar discriminação? Desde quando a retratação do ato de crucifixar alguém, método romano de execução levado a efeito muito antes de um suposta maioria ofendida vender Cristo por Barrabás, é uma clara demonstração de discriminação? Somente eu peguei que a crucificação retrata ato de amor, segundo os cristãos, que na verdade envolve um sacrifício, um escárnio, traição, discriminação, revolta e desrespeito da maioria, AGAIN? Somente eu pequei que tentaram retratar, justamente, a forma como um grupo religioso, calcado num suposto amor e sacrifício, apontam como anormal, aberração, a vida de um ser "que não se reproduz"?

A retratação da crucificação é muito diferente do ato de quebrar imagens ou introduzi-las no ânus. Esta sim é desrespeitosa e criminosa, nenhuma mensagem passa, a não ser escárnio. continuar lendo

Meu ponto de vista é simples:

Se desrespeitar o cristão é crime e o agressor deve ser preso, o cristão que desrespeitar o umbandista, o thelemita, o kardecista, o pagão ou o espírita, também tem que apodrecer atrás das grades.

Por anos, os cristãos ofendem quem não segue sua doutrina monoteísta. Isso mesmo, ofendem e desrespeitam, pois chamar alguém que não é cristão de demônio (criatura suja que vive através da trapaça e da maldade) não é tratar o próximo com amor, como sua doutrina te ensina.

Aliás, essa mesma doutrina está repleta de ódio também, pois a séculos atrás esses cristãos queimavam, matavam e torturavam quem simplesmente misturara um melzinho no própolis, ou simplesmente fazia um chá de hortelã. Agora, além de beberem este mesmo chá que um dia foi fruto de bruxaria e pactos com principados infernais, não mais possuem a proteção da igreja perante o Estado para jogar na fogueira quem quisessem e saírem impunes.

Como diz o ditado: é o feitiço virando contra o feiticeiro.

Sinto uma ligeira tristeza das pessoas de bem, que são cristãs, que infelizmente precisam viver com as consequências dos atos desses cristãos fanáticos. continuar lendo

Boa tarde Lucas Perini
Muito bom comentário, obrigada por participar
Acredito que esse PL apresentado pelo Deputado em questão deveria valer para quaisquer tipo de simbolos religiosos...., ou mais uma vez eles estarão pecando -pensando somente neles, no que importa para eles.
Toda e qualquer religião merece respeito, todos os símbolos também. Não seria digno da parte deles apresentar uma lei que os privilegie......, mas vamos esperar o conteúdo dela para ver (foi apresentada anteontem)....espero me surpreender...., difícil vindo dessa bancada, mas espero que seja positiva para todas as religiãoes e seitas.
Abraço
Att. Elane continuar lendo

Lucas, me parece que falas da Inquisição. Não foi perseguição fora de suas fileiras. Foi a igreja dominante da época, perseguindo dissidentes SEUS. Ou seja 'cristãos' contra Cristãos.
Segundo, para nós, há uma dicotomia no mundo: o bem e o mal.
Deus, é o bem e requer: amor, respeito, temor a Ele Deus (não: terror ou medo), defesa irrestrita do pecador mas condenação do pecado, etc.
Satanás (inimigo): ódio, desrespeito, terror de Deus, APARÊNCIA do bem mas que no final conduz à morte (exemplo: drogas ilícitas; tabaco; fofoca; incitação ao desrespeito, ao ódio e à segregação de pessoas; defesa do pecado e não do pecador; etc.).
Feitiço e feiticeiro, realmente não é de Cristãos. Colhemos o que plantamos, se não nessa, na outra. continuar lendo

De acordo com a Folha de São Paulo já foi elaborado um PL que torna crime hediondo a profanação de símbolos religiosos
http://uol.com/bxfs77

Esse já deveria existir na época que o pastor evangélico chutou a imagem de uma santa católica na televisão

http://pt.wikipedia.org/wiki/Chute_na_santa

Mas se esse PL passar os evangélicos seriam os primeiros a serem presos

http://www.cbnfoz.com.br/editorial/brasil/noticias/09062014-152118-evangelicos-quebrameurinam-em-imagem-de-santa-pastor-nega-participacao-mas-apoia-fieis

http://www.paulopes.com.br/2008/06/evanglicos-invadem-centro-de-umbanda.html#.VXz3cflViko continuar lendo