jusbrasil.com.br
25 de Fevereiro de 2020

"Airbnb": o Uber dos hotéis, ou seja, dos imóveis por temporada

Há alguns anos, dois ou três, já não me lembro, decidi que iria alugar, "por temporada", o meu apartamento de praia no Ceará.

Fiz algumas pesquisas na internet para ver qual seria a melhor forma, a mais cômoda e claro, a mais vantajosa. Acabei por encontrar alguns meios até isentos de qualquer taxa, alguns bem visitados por possíveis clientes; todavia o mais interessante que vi foi o "Airbnb", uma espécie de "Uber" de hotéis.

Alguns veem como um simples site de aluguel de apartamentos pelo mundo, outros o tem como um aplicativo (exatamente como o "Uber" - só que de hotéis/casas/apartamentos); o que vem gerando algum tipo de incômodo para os empresários do ramo hoteleiro.

Quanto ao meu apartamento decidi que não iria alugar naquele momento e deixei. Todavia a pesquisa me serviu muito. Conheci uma forma de hospedagem pelo mundo todo de maneira mais econômica que a convencional.

Pessoas que viajam muito e não tem recursos grandiosos podem, inclusive, alugar quartos dentro das próprias residências; querendo algo mais privado, todavia mais caro, alugue a casa ou o apartamento inteiro por um certo tempo. Existem excelentes imóveis pelo mundo se utilizando dessa ferramenta, é só dar uma "sapeada" no site deles. (eu chamo de site, portal, se for um aplicativo, me desculpe os entendidos), Airbnb.

O problema é que coisas desse tipo podem incomodar muita gente, no caso os incomodados aqui seriam os hoteleiros. Veja uma notícia interessante, sobre o assunto pública pela Istoé.

"Brasil quer que países do Mercosul taxem 'Uber de hotéis'"

O Brasil vai propor aos países do Mercosul a taxação do Airbnb, serviço online de aluguel temporário de imóveis. A ideia será discutida na próxima reunião especial de turismo do grupo, mês que vem, no Paraguai. A proposta tem como objetivo imediato frear a concorrência considerada desleal com os hotéis para os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio. A cidade é a que tem maior número de imóveis cadastrados nessa plataforma no País, 20 mil. É a quarta no mundo, atrás de Paris, Nova York e Londres.

Com 45 mil apartamentos, casas e quartos em 22 Estados, o Airbnb vem incomodando o setor hoteleiro desde que chegou ao Brasil, há três anos. “Ninguém quer proibir. O que pleiteamos é a igualdade tributária. O hotel paga água mais cara, IPTU e ISS (Imposto sobre Serviços), e esse tipo de locação, não. Não há uma garantia de segurança para os vizinhos, um contrato formal. Afirma o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (Abih), Alfredo Lopes.

Fonte: Istoé independente em 18/09/2015 via Estadão e Airbnb

Autoria: Elane F. De Souza OAB-CE 27.340-B (ao copiar, reproduzir ou citar, indique a fonte)

Foto/Créditos: blogdoruivo. Com. Br

4 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Sou contra. o Airbnb vai muito alem de alojamento barato ou substituto para um hotel. Ele abre um leque muito maior de opcoes tanto de lugares como de charme, aconchego, etc. Por que isso incomoda tanto as pessoas, verem pessoas falizes? continuar lendo

Bom dia Gisela, tudo bem?
Pois o airbnb é excelente.....,infelizmente não ganho nada para falar isso.....,(rsrsrs) o fato é que várias vezes fiz pesquisas para viagens por ele e me surpreendi....,
em breve estarei viajando para España e é por ele que irei me hospedar em Madrid e depois Barcelona....., talvez eu coloque essa minha experiência de hospedagem aqui quando voltar. continuar lendo

Estamos trazendo serviços semelhantes para o mercado imobiliário é o mimimi de empresários que não querem largar o osso é o mesmo www.proprietariodireto.com / www.quadra32.com continuar lendo

Evolução do mercado simples assim. continuar lendo