jusbrasil.com.br
19 de Agosto de 2019

Operação tentáculos! Programa de Proteção a testemunhas “ineficaz” transforma família em fugitivos da milícia carioca!

O sonho de uma família transformado em pesadelo!

Operao tentculos Programa de Proteo a testemunhas ineficaz transforma famlia em fugitivos da milcia carioca

A reportagem do Arquivo RJ (TV Globo – segunda 07) contou a triste história de uma família que começou em 2010 quando perderam tudo nas chuvas que castigaram o Rio de Janeiro na época. Cadastrados pela Prefeitura daquele município para sorteio de uma nova moradia no Campo Grande, zona oeste do Estado, mal tomaram posse do imóvel, financiado pelo programa minha casa minha vida, recebem a infeliz visita dos milicianos cobrando “ taxa mensal de segurança” (“serve para evitar roubos, furtos e o assassinato de sua família” – disseram eles, justificando).

Recomeço que tornou um pesadelo! O dia 12 de agosto de 2011 tinha tudo para ser um dia feliz, o sonho da casa própria tinha, finalmente, se realizado. No entanto, não sabiam eles que, no dia seguinte, os “cobradores” já estariam batendo à sua porta para “cadastramento”. Falando assim parece até algo oficial, legal, de direito – mas não, apenas uma quadrilha formada, na sua maioria, por policiais civis e militares que cobram para dar “segurança” (segurança contra eles mesmos).

Primeiro mês 240 reais que não foram pagos, segundo mês 300, terceiro 350, chegando à R$ 560 reais (quinhentos e sessenta reais). Tinha começado uma história de terror que os assombra até hoje!

No dia 23 de janeiro de 2014, batem à porta quatro indivíduos milicianos de arma em punho, exigindo a saída de toda a família porque, segundo eles, o imóvel lhes pertencia. Não os deram, sequer, a oportunidade de levar os pertences pessoais de dentro da casa.

Correram muito, deixando tudo para trás para preservar a vida. No dia seguinte procuraram a polícia denunciado todo o esquema de milícias que funciona na região.

Desencadeia-se a Operação Policial que passaria a ser denominada “operação tentáculos”; a delegacia que investiga crimes organizados no Estado conseguiu prender o alto escalão da quadrilha, quadrilha essa que não funcionava apenas no Campo Grande extorquindo moradores, segundo o Delegado responsável pelas investigações e prisões a milícia explorava qualquer coisa que pudesse proporcionar-lhes lucro – de caça-níqueis à vendedores de butijões de gás. Uma “empresa” voltada, exclusivamente, ao crime!

Apesar das prisões de 21 milicianos, um ano e meio depois das denúncias do morador, personagem dessa história, a milícia continua atuante com os “braços” que sobraram, quiçá com novos integrantes - substitutos.

Programa de proteção a testemunhas no Brasil

Isso aqui não é como nos filmes de Hollyood – o programa é falho; falta investimentos; gente capacitada; falta, inclusive, dinheiro para colocá-los livres de qualquer exposição que os leve à morte. Foi o que levou a família a abandonar o programa – não se sentiam suficientemente seguros. Por causa disso se tornaram fugitivos. Conheceram grande parte do país, vivendo aqui e ali como podiam – com filha de 6 anos, que poderia estar frequentando a escola, sente-se um inútil, um prisioneiro às avessas de um sistema de segurança frágil proporcionado pelo governo, que apenas faz constar ou, “para inglês ver”!

O Delegado responsável pelo caso sente muito, pois sabe o que o sistema não está tão preparado como devia; com a fuga da família do programa, deixará “um vazio” ainda maior; pessoas deixarão de denunciar casos assim porque temerão ainda mais por suas vidas.

A gente não tem vida, estamos sobrevivendo dia a dia, conhecendo o Brasil todo pois não temos a paz e o sossego suficientes para habitarmos num único lugar…, temos que fugir sempre, por mais que nos escondemos eles nos encontram. Isso não é vida, preferia a morte, se soubesse que seria somente a minha e que minha família teria finalmente paz…. Após um ano e meio fugindo, nunca mais soube o que é dormir de verdade”, disse o pai dessa família.

Disse ainda, na entrevista que deu ao Fantástico e ao Arquivo RJ, que ele cometeu um grave crime, esse crime foi denunciar a milícia do Rio de Janeiro, se soubesse no que sua vida iria se transformar nunca teria feito o que fez; colaborar com a polícia para a prisão de alguns foi um erro que não voltaria a cometer”.

Fonte: texto extraído do programa Arquivo RJ (TV Globo) com palavras, exclusivas, da Autora. Elane F. De Souza OAB-CE 27.340-B

2 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

esta família e a minha,peço a alguém neste pais que ajude ,pois não temos mais forças,do governo não esperamos nada pois os mesmos nada fazem mesmo,a não ser compactuar com os criminosos,peço socorro pra minha família,nos ajude pelo amor de deus! temos um zap 21- 96832-40-99 é só zap alguém ajude por favor ,Roberto continuar lendo

Boa tarde Roberto Medeiros, tudo bem?
Vou te enviar uma msg privada....., acho que vc é novo no JusBrasil..., mas olhe no canto superior direito da tela do computador e veja uma "cartinha azul" ao lado de tua foto...clica nela e veja o email privado que irei te enviar em seguida.
Até mais continuar lendo